8 Novembro 2018

Preparado para o Retalho 4.0?

O progresso tecnológico está a transformar todas as indústrias que conhecemos e o retalho não é exceção. A digitalização do retalho, o chamado retalho 4.0, é um processo repleto de oportunidades. E, se por um lado este é um dos sectores que tem sofrido maiores alterações, por outro, é também um dos que tem maior potencial para oferecer aos clientes serviços inovadores e distintos, bem como, estabelecer relações mais próximas com estes.

Num cenário global e extremamente competitivo, os retalhistas têm o desafio contínuo de acompanhar a evolução do mercado e estar a par das suas mudanças, antecipar possíveis cenários, oferecer o que os clientes procuram, a um preço justo, e satisfazer as necessidades e expetativas dos consumidores.

Este ambiente de mudança também trouxe ao retalho, um crescente interesse do consumidor pelo canal digital, levando à implementação de uma estratégia omnicanal, o que aumentou exponencialmente o volume de dados gerado.

Deste modo, é urgente que se continue a apostar na revitalização e modernização deste sector, de modo a responder cada vez melhor à necessidade de cada consumidor. Conhecer os seus hábitos e gostos, compreender o que pensa e o que quer, conhecer o seu processo de compra e consumo, o quando, o onde e o quê, são perguntas fulcrais nos dias de hoje e que se tornam essenciais para focar a sua oferta e ir ao encontro do que o consumidor procura.

Um dos maiores desafios do retalho é o perfeito entendimento do consumidor e, para tal, é essencial analisar e interpretar toda a informação disponível acerca do mesmo. E é aqui que o desafio ainda se torna maior, pois as motivações, tendências, necessidades e expectativas do cliente estão em permanente mutação. Portanto, a chave para o sucesso assenta na capacidade de previsão e acompanhamento destas mudanças, assim como na satisfação de clientes cada vez mais exigentes, numa gestão de operações eficiente e numa articulação entre cadeias de fornecimento e distribuição bem conseguida.

Posto isto, os dados são hoje em dia, e cada vez mais, uma ferramenta fundamental que, bem trabalhada, nos faz chegar a informações extremamente significativas sobre qual a estratégia que devemos seguir. Apesar da maioria dos retalhistas já terem esses dados no seu ecossistema de sistemas de informação, o ponto fulcral é, como acedemos e trabalhamos essa informação, como a organizamos, como retiramos valor e insights de todos estes dados.

Há que simplificar o acesso a esta informação. É necessário obter uma visualização centralizada e única de dados provenientes de diferentes fontes, para que todo este processo facilite o dia-a-dia das organizações, sem esperas de infindáveis relatórios e, contribua desta forma, para uma tomada de decisão mais rápida, simples e bem sustentada.

A realidade omnicanal, a expectativa de entregas rápidas por parte da empresa, as rápidas mudanças no comportamento do consumidor, o crescente número de compras nas plataformas digitais e o consequente acréscimo na quantidade de dados geram inúmeros desafios à gestão logística dos retalhistas. E, para os ultrapassar, é necessário criar uma rede de infraestruturas ágil e pronta a entregar ao cliente aquilo que ele deseja, onde e quando pretender.

Por outro lado, a eficiência operacional e a redução de custos na cadeia de valor assumem também um papel fundamental no sector do retalho. Dado que a procura pela melhor relação qualidade/preço, é imperativa na mente do consumidor, tornando a eficiência operacional um fator determinante na competitividade das empresas.

As soluções de Analytics e Big Data tornam-se essenciais para as Organizações, e proporcionam enormes vantagens, pois permitem por exemplo identificar os produtos com maior número de vendas por região, qual o tipo de cliente e o seu comportamento, analisar a rentabilidade por produto, área geográfica, clusters de consumidores, ao mesmo tempo que possibilitam a monitorização, individual e em tempo real, das diversas campanhas de vendas e marketing, maximizar o potencial de programas de fidelidade, redução de custos operacionais, bem como a otimização dos processos de gestão de vendas.

Assim, as soluções de Analytics otimizarão toda a sua gestão pois permitem o desenvolvimento e implementação de estratégias mais assertivas, com base em dados, e com foco permanente no crescimento do negócio. Garantindo, por um lado, uma maior facilidade no acompanhamento das mudanças do sector o que possibilita às organizações uma tomada de decisão mais rápida e eficaz e, por outro, oferece aos seus clientes os produtos que eles desejam, no momento certo e a um preço competitivo, posicionando-se na vanguarda do retalho.

  • Artigo de opinião publicado na revista Grande Consumo – outubro, 2018

 

 José Oliveira BI4ALL
  José Oliveira         
        CEO