1 Novembro 2022

Hiperautomação – Um salto para a eficiência

Impulsionada pelas necessidades de transformação digital e automação, a hiperautomação é uma das tendências tecnológicas que vai marcar os próximos tempos. Esta abordagem que combina processos automatizados com novas tecnologias como a Automação Robótica de Processos (RPA), o Machine Learning e a Inteligência Artificial está a ganhar cada vez mais terreno dentro das organizações e promete aumentar a produtividade, maior segurança e reduzir custos.

Embora não seja uma novidade nas operações da maior parte das empresas dos vários setores, tudo indica que o investimento na automação vai continuar a ser uma tendência nos próximos tempos. De acordo com a Forrester, as empresas europeias vão investir até €3,3 biliões em automação para impulsionar a produtividade, comprovando esta tendência que se espera crescente nos próximos anos, indo ao encontro da hiperautomação – um passo mais à frente, que vem garantir mais flexibilidade, segurança e inteligência por meio da integração de tecnologias avançadas.

Se a automação por si só já permitia escalabilidade, a hiperautomação vem potenciar esta mesma característica ao integrar um conjunto de tecnologias que, ao tirar o melhor partido de cada uma, aumentam significativamente a produtividade dos ambientes de trabalho. A combinação das tecnologias RPA com a inteligência artificial permite automatizar tarefas que antes não era possível, como processos não documentados que dependem de entradas de dados não estruturados. Ao integrar um conjunto de tecnologias avançadas, a hiperautomação oferece o poder e a flexibilidade de trabalhar uma estratégia end to end, da estruturação dos data warehouse até à visualização em dashboards.

Dessa forma, os colaboradores passam a poder concentrar-se em tarefas de maior valor, tais como a tomada de decisão, a interpretação dos dados e a aplicação do pensamento crítico. Além disso, o trabalho manual é sempre suscetível de erros.

Mais do que mecanizar tarefas manuais repetitivas realizadas pelos colaboradores, a hiperautomação vem introduzir a Inteligência Artificial e Machine Learning nos processos já automatizados, ampliando as suas potencialidades e aprimorando-as. Uma das vantagens é que as plataformas de hiperautomação podem ser aplicadas nas tecnologias que as empresas já possuem, melhorando a performance com menos custos. Segundo a projeção da Gartner, espera-se que até 2024 as organizações reduzam os custos operacionais em 30%, ao combinar tecnologias de hiperautomação com processos operacionais redesenhados.

Ter processos automatizados aumenta a produtividade e eficiência, ao mesmo tempo que reduz os custos e erros humanos. Fluxos de trabalho mais ágeis trazem melhores resultados e permitem libertar os colaboradores para tarefas mais estratégicas e criativas. Segundo estudos da Forrester, cada vez mais as empresas estão a olhar para áreas onde as habilidades humanas e tecnológicas podem ser combinadas para melhorar a eficiência, como na gestão, recursos humanos e formação.

É assim fundamental que as empresas tenham um controlo eficaz dos processos, de forma a manterem a competitividade, gerarem oportunidades de negócio e colmatarem erros que retiram rentabilidade.

 

  • Artigo de opinião publicado no meio Do It – Novembro, 2022

 

 José Oliveira BI4ALL
  José Oliveira         
        CEO