1 Dezembro 2020

Inteligência Artificial, Algoritmos, Big Data e o Futuro da Banca

A tecnologia trouxe novas oportunidades e desafios ao setor bancário, aliás a banca como todos conhecíamos com uma estrutura pesada já não existe e os tempos atuais vieram apenas acelerar a aposta no digital. As finitechs, as moratórias, o reforço da regulação ou a incerteza dos mercados são temas que ocupam a agenda dos gestores, que necessitam hoje de modelos de negócio mais transparentes, simples e eficientes.

66% dos executivos bancários dizem que as novas tecnologias terão um impacto maior sobre os bancos até 2025, de acordo com a Contentstack.

A incerteza e a segurança são duas das palavras que hoje estão na ordem do dia e que vão marcar seguramente os próximos meses. É importante que o setor continue a modernizar e a acelerar os processos de inovação de forma a ganhar maiores vantagens competitivas, criando maior agilidade e oferecendo mais valor ao cliente.

Ao dispor dos dados disponíveis dos clientes e do mercado em análise, o setor da banca e dos serviços financeiros consegue fornecer produtos e serviços mais personalizados e em diversos canais nesta era mais disruptiva, competitiva e digital, em que o cliente tem cada vez mais autonomia sobre os processos.

Além disso, a adoção de soluções de Big Data e de Inteligência Artificial possibilita que o setor tenha ao seu dispor, em tempo real, vários insights que permitem uma melhor tomada de decisões, agilizar e otimizar os processos operacionais e analíticos, reduzir custos e antecipar-se às tendências do mercado, o que se traduz numa melhor performance da organização.

Hoje, os clientes procuram agilidade, rapidez e segurança e, por isso, a experiência ao cliente passou a ter uma importância vital. As organizações necessitam, assim, de ferramentas que permitam um conhecimento detalhado daquilo que os clientes querem para darem uma resposta mais célere e flexível. A juntar a esta situação, o setor sente uma grande pressão para que se mantenha lucrativo e reduza os custos, pelo que os processos querem-se automatizados, ágeis e eficientes.

A Inteligência Artificial traz mais conhecimento e algumas mudanças na forma como as instituições financeiras abordam os clientes nos canais digitais. Em termos de experiência, os chatbots permitem resolver problemas com precisão em qualquer lugar e a qualquer hora. Mas a Inteligência Artificial tem ainda um impacto muito positivo na rentabilidade das tarefas, ao acumular, por exemplo, as tarefas mais monótonas e repetitivas, permitindo, assim, que os colaboradores passem a ter papéis mais estratégicos, criativos e de maior valor acrescentado.

Com recurso aos dados e a algoritmos estatísticos, consegue ainda monitorizar operações de pagamento para identificar fraudes ou tentativas de branqueamento de capitais, além de dispor de análises preditivas precisas para personalizar os investimentos ou medir o risco de crédito.

É através destas soluções que é possível ter acesso a informações cruciais, de forma rápida e simples que permitem a monitorização de dados corporativos, investimentos ou produtos, que possibilitem obter conhecimento sobre o comportamento e as expectativas dos consumidores,

facilitando a oferta de serviços e produtos mais personalizados e inovadores, e possibilita também que se identifique novas oportunidades junto de clientes e mercados.

Uma visão precisa e atualizada dos dados financeiros, assim como o conhecimento do cliente ou uma análise eficaz dos riscos são apenas algumas das vantagens que a tecnologia oferece à Banca. Mas, a verdade, é que a sinergia entre o Big Data e a análise de dados, em conjunto com a Inteligência Artificial, traz benefícios sem precedentes a qualquer setor com um aumento significativo no desempenho e uma redução nos custos operacionais.

Como já vimos, a análise profunda dos dados históricos e do mercado atual fornecem dados sofisticados de tendências e previsões de comportamento dos mercados. Ao ter ao dispor a tecnologia certa, esta permite que se redefinam processos, criem produtos e serviços inovadores, se automatize funções e transforme a relação com os clientes e colaboradores.

As soluções tecnológicas disruptivas levam, sem dúvida, a modelos de negócio mais arrojados e eficientes. A sua organização está preparada para enfrentar o futuro com resiliência e confiança?

 

 

 José Oliveira BI4ALL
  José Oliveira         
        CEO